Subprojeto 19 – Metástase experimental em Zebrafish

Participantes:Vanessa Morais Freitas, Thaiomara Alves Silva, Suely Vieira da Silva, Heydi Noriega, Maíra Lima, Priscilla Lara
ICB- USP, São Paulo

A progressão do câncer não depende apenas de novas habilidades adquiridas pela neoplasia, mas também da interação com seu microambiente. As células tumorais, interagem com os componentes da matriz extracelular (MEC) através de receptores de membrana. A MEC é constituída por proteínas, proteoglicanos e glicosaminoglicanos, que servem como arcabouço e também como reservatório de diversos fatores de crescimento. Estes fatores podem ser liberados quando os componentes da matriz são remodelados pela ação de proteases. Entre as proteases, nos interessamos em estudar a ADAMTS-1, o primeiro membro descrito da família ADAMTS (a disintegrin andmetalloproteinasewith thrombospondin motifs). Essa molécula tem como característica a presença de um domínio metaloproteinase, um domínio desintegrina e três motivos de trombonspondina. A interação entre os fatores de crescimento e os motivos de trombonspondina tornaria ADAMTS-1 candidata a modular o microambiente tumoral. O objetivo deste estudo é avaliar o papel da protease ADAMTS-1 no microambiente tumoral. Pretendemos analisar se esta protease, através dos seus domínios trombonspondinas, é capaz de interferir na ação pró-tumoral dos fatores de crescimento, seja na invasão local ou sistêmica. Durante a disseminação, as células tumorais devem ser capazes de se desprender do tumor primário (perda da interação célula-célula) e escapar do tecido de origem. Além disso, invadem a matriz extracelular, migram ativamente pelo estroma intersticial e induzem a formação de novos vasos sanguíneos e/ou linfáticos (angiogênese), essenciais para a expansão da massa tumoral. Por estes mesmos vasos, as células tumorais podem alcançar a corrente sanguínea ou linfática, atravessar o endotélio dos vasos (intravasão), sobreviver na circulação e extravasar (atravessando novamente as células endoteliais), chegando no parênquima do órgão-alvo. Utilizaremos as células HT1080, linhagem celular derivada de fibrossarcoma e conhecida na literatura pela sua alta malignidade. O fibrossarcoma é um tipo de câncer agressivo e se caracteriza pela presença de fibroblastos malignos imaturos com divisão celular sem controle, formando tumores sólidos. Na clínica acomete principalmente crianças e apresenta elevado índice de recorrência local e baixa incidência de metástase. Inicialmente, através de experimentos in vitro, analisaremos as interações entre os fatores de crescimento e ADAMTS-1 usando ressonância de superfície plasmônica. Através de ensaios funcionais utilizando cultura de células, estudaremos os efeitos dessa possível interação na viabilidade das células tumorais. Além disso, avaliaremos se a presença de ADAMTS-1 interfere em diferentes vias de sinalização ativadas pelos fatores de crescimento. A fim de avaliar como ADAMTS-1 poderia influenciar no extravasamento de células tumorais, utilizaremos como modelo in vivo embriões de zebrafish (Daniorerio). As células tumorais fluorescentes que over-expressam ou possuem ADAMTS-1 silenciada serão injetadas nos embriões. O trajeto das células e a interação com os tecidos serão acompanhados pela técnica de time-lapsedas células tumorais através da microscopia intravital, o que nos fornecerá dados sobre a dinâmica de interação entre a célula tumoral e o estroma.