Ribossomos bacterianos como indutores de pluripotência em células humanas!

IMAGEM

Créditos da imagem: Ito et al., 2017.

Em pesquisas anteriores, cientistas demonstraram que caso fibroblatos humanos incorporem bactérias em seu citoplasma, esse fibroblastos eram levados a se transdiferenciar, ou seja, mudar seu fenótipo para outro tipo de célula. No caso, fibroblastos se transformaram em neurônios ou em condrócitos. Mas por quê? Qual fator bacteriano era responsável por tal evento?
Neste estudo publicado no final de janeiro de 2018, no periódico Scientific Reports, novos achados corroboram ainda mais tal feito, reforçando a teoria simbiótica da vida eucariótica. Foi demonstrado que o fator responsável por tal transdiferenciação é o ribossomo bacteriano. Os ribossomos são organelas celulares que sintetizam proteínas a partir de informações derivadas de RNA e estão presentes nas células de quase todos os organismos. Eles são compostos por duas subunidades, uma grande e uma pequena, e são um complexo composto por 50 ou mais tipos de proteínas e pelo menos três tipos de RNA. Neste trabalho, ao invés de incubarem as células humanas com bactérias, somente os ribossomos foram utilizados e estes foram internalizados por endocitose! No entanto, fibroblastos humanos que internalizaram os ribossomos, ao invés de se diferenciar em outro tipo celular, adquiram características pluripotentes, expressando marcadores dos três folhetos germinativos.

Veja todo este trabalho no paper e anexo:

Ribosome Incorporation into Somatic Cells Promotes Lineage Transdifferentiation towards Multipotency.

Keywords: ribossomos; pluripotência; diferenciação celular.