Os linfócitos T no ataque aos tumores!

IMAGEM-42

Créditos da imagem: Gropper et.al., 2017

Os linfócitos T citotóxicos (CTLs) utilizados na imunoterapia são tipicamente cultivados sob pressão atmosférica de O2, mas encontram condições hipóxicas dentro de tumores devido ao crescimento exarcebado. A ativação de CTLs em condições hipóxicas demonstrou melhorar sua citotoxicidade in vitro, mas o mecanismo empregado e as implicações para imunoterapia permanecem desconhecidas. Neste trabalho, pesquisadores ativaram e cultivaram células T CD8 de em atmosfera de 1% ou 20% de O2.

Os CTL hipóxicos sobreviveram, assim como os normoxicos, in vitro, mas mataram células de melanoma B16 que expressavam OVA de forma mais eficiente. Os CTL hipóxicos continham números similares de grânulos citolíticos e liberaram-os de forma eficiente, mas embalavam mais granzima-B em cada grânulo sem produzir mais perforina.

A distribuição e motilidade de CTL dentro dos tumores B16-OVA também foi avaliada usando microscopia confocal e intravital de 2 fótons, porém nao se foi observado grande diferença. No entanto, os animais tratados com CTL hipóxicos apresentaram uma melhor regressão do tumor e sobreviveram mais.

Assim, os CTL hipóxicos podem ter melhor desempenho na imunoterapia tumoral por causa de maior citotoxicidade intrínseca ao invés de melhorar a migração dentro dos tumores.

Culturing CTLs under Hypoxic Conditions Enhances Their Cytolysis and Improves Their Anti-tumor Function