Novos achados na regeneração óssea!

IMAGEM-102

Créditos da imagem: Ando et.al., 2017.

O processo de regeneração óssea intriga cientistas por anos. A maneira pela qual os osteoblastos, células que sintetizam a matriz óssea, são fornecidos durante a regeneração óssea tem sido controverso até o presente. Um novo estudo publicado na Developmental Cell usa peixes zebra geneticamente modificados para mostrar que uma população de células progenitoras marcada pela alta expressão da metaloproteinase 9 da matriz, uma enzima que cataboliza colágenos, fornece osteoblastos durante a regeneração.
Essas células agora são chamadas de células progenitoras osteoblastícas (OPCs). Consistentemente, eliminando OPCs antes da lesão tecidual prejudicou significativamente a regeneração óssea. Em geral, o estudo mostra que os OPCs são essenciais para a regeneração óssea.

Os pesquisadores investigaram ainda mais a origem embrionárias das OPCs e descobriram que as OPCs são derivadas de somitos embrionários e reservados em nichos osteogênicos específicos em animais adultos, se tornando a fonte de osteoblastos. Já se era sabido que os somitos embrionários produzem osteoblastos durante o desenvolvimento dos vertebrados, mas sua relação com os osteoblastos adultos não era conhecida.
O estudo revelou que as OPCs derivadas dos somitos são as células “dormentes” utilizadas para posterior produção de osteoblastos em animais adultos.

Veja o estudo completo no paper em anexo:

Osteoblast Production by Reserved Progenitor Cells in Zebrafish Bone Regeneration and Maintenance