Comunicação intercelular via Notch: um mesmo receptor que, dependendo do ligante, desempenha funções completamente distintas.

IMAGEM (7)

Créditos da imagem: modificada a partir de Nandagopal et.al. 2018.

Organismos multicelulares dependem de um constante fluxo de informação entre células que pode ser desempenhado por liberação de moléculas autócrinas, parácrinas, endócrinas ou neurotransmissoras, para o desempenho de uma determinada função. Além disso, as células podem se comunicar diretamente por contato físico uma com as outras, através de moléculas diretamente acopladas a suas membranas celulares. Um exemplo de tal comunicação intercelular é a via Notch.
A via de sinalização de Notch compreende múltiplos ligantes que são usados em contextos biológicos distintos. Em princípio, diferentes proteínas ligantes podem ativar programas alvo distintos em células receptoras do sinal via receptor Notch 1, mas não está claro como poderia ocorrer tal discriminação pela célula.
Neste trabalho publicado este mês na revista Cell, pesquisadores mostraram que o as células usam a dinâmica para discriminar entre a sinalização pelos ligantes Dll1 e Dll4 através do receptor Notch1. Single-cell imaging revelou que Dll1 ativa o Notch1 em pulsos discretos e modulados em freqüência que especificamente regulam o gene alvo Notch Hes1. Em contraste, Dll4 ativa Notch1 de forma sustentada, modulada em amplitude, que, predominantemente, aumenta positivamente a expressão dos genes Hey1 e HeyL. A capacidade da via de utilizar ligantes distintos, gerando respostas distintas pelo mesmo receptor, tem implicações para diversos processos dependentes de Notch. Um exemplo disso são os efeitos distintos de cada um destes ligantes DII na miogenese do embrião. A ligação de DII 1 promove a miogênese, enquanto a ligação de DII4, a inibe.

Veja todo o trabalho no arquivo em anexo:

Dynamic Ligand Discrimination in the Notch Signaling Pathway

Keywords: #comunicaçãointercelular; sinalizaçãonotch; miogênese.