Células-tronco pluripotentes ganhando cada vez mais espaço.

IMAGEM

Apesar da grande polêmica e controvérsia acerca da utilização das células-tronco pluripotentes para a medicina regenerativa, estas células, que apresentam grande capacidade de multiplicação e diferenciação, se mostram extremamente úteis para estudos de biologia do desenvolvimento e patologia.

É o que mostra o trabalho de Chen et.al. publicado recentemente pelo periódico Nature Cell Biology. Através do isolamento das células-tronco pluripotentes derivadas de tecidos humanos (hPSCs) e cultivo em matriz 3D, os pesquisadores foram capazes de criar um organoide com características extremamente similares a um pulmão humano em formação, apresentando características como a presença de mesoderme,endoderme pulmonar, vias aéreas em desenvolvimento e estruturas alveolares primárias. Além disso, utilizando esse sistema, os cientistas foram capazes de mimetizar patologias in vitro como infecções respiratórias virais e fibrose pulmonar.

Veja o trabalho na íntegra anexado abaixo:

 https://www.nature.com/ncb/journal/vaop/ncurrent/full/ncb3510.html